MAN – NOVO SEGMENTO DE ATUAÇÃO COM O TRÓLEBUS !

Comentário do Taco: com essa oferta a MAN vai expandido seu leque de ofertas, e fornecer para esse segmento um produto já preparado para a sua complementação parece ser um bom negócio. O tradicional ônibus a diesel é “pelado” de alguns componentes, como motor e cambio, a relação do eixo traseiro é substituída para uma que combine com o motor elétrico e a parte eletro-eletrônica é ajustada para as interfaces necessárias. E o quadro do chassi também deve receber o berço para o motor elétrico. Em 1979/80 tive a oportunidade de trabalhar com um Mercedes, O 305, importado da Alemanha, e que possuia um motor a gasolina VW, para ser o gerador de força, quando operava nos deslocamentos em regiões sem a rede elétrica superior ! Foi muito divertido, fazíamos testes entre o centro de São Paulo até a avenida do Jockey Club, muito interessante descer a rua Augusta para testes de freio, mas o projeto não evoluiu ! Agora, 34 anos depois, as empresas começam a focar esse tipo de veículo, que só precisa de uma boa infra-estrutura aérea e de solo, para operar adequadamente !

image

Trólebus Volksbus começam a circular em São Paulo

MAN pretende ampliar as vendas de chassis para estes veículos

REDAÇÃO AB

Começaram a circular na zona leste da cidade de São Paulo dez trólebus com chassis Volksbus. Os veículos são do modelo 17.280 piso baixo, equipados com motor elétrico traseiro. Serão operados pela empresa Ambiental Transportes. É a primeira vez que a MAN Latin America, que fabrica caminhões e ônibus Volkswagen, fornece chassis para trólebus de São Paulo.

A MAN diz que suas áreas de marketing do produto, engenharia de desenvolvimento e engenharia elétrica trabalharam durante seis meses para desenvolver o chassi adequado a este tipo de aplicação. Para a fabricação dos novos trólebus, o motor e a caixa de câmbio são removidos e os chassis Volksbus piso baixo são fornecidos com eixos e relação de diferencial adaptados à operação. Com o chassi, é entregue um módulo eletrônico que faz a interface com o novo sistema de tração elétrica e chicotes elétricos.

A Induscar foi a empresa escolhida para equipar os trólebus com carrocerias Caio. A Eletra, por sua vez, ficou responsável pela tração elétrica das unidades. O chassi Volksbus sai diretamente da fábrica de Resende (RJ) e vai direto para a Induscar. Após a colocação da carroceria, a unidade é enviada à Eletra para finalizar o processo. São necessários aproximadamente 180 dias para a fabricação de um novo trólebus.

“Nossa preocupação foi a de desenvolver um chassi que faça a melhor interface com os sistemas utilizados pelos fornecedores envolvidos na operação, além de disponibilizar no mercado de ônibus brasileiro um produto competitivo que atenda às necessidades deste negócio”, comenta Ricardo Alouche, vice-presidente de vendas, marketing e pós-vendas da MAN Latin America.

Segundo Alouche, a empresa pretende ampliar as vendas de chassis para trólebus uma vez que hoje, com novas tecnologias empregadas, o produto já é considerado umas das melhores alternativas ao uso do diesel de petróleo no transporte coletivo. “Nossos clientes buscam cada vez mais por soluções amigáveis ao meio ambiente. Somos pioneiros em algumas delas e agora, com os chassis para trólebus, oferecemos mais uma alternativa aos frotistas.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s